seg. out 18th, 2021

Categoria esteve na manhã desta segunda-feira (23) na Secretaria Municipal de Saúde para reivindicar aumento.


Grupo de servidores esteve na manhã desta segunda-feira (23) na secretaria municipal de saúde para reinvindicar  — Foto: Arquivo pessoal

Grupo de servidores esteve na manhã desta segunda-feira (23) na secretaria municipal de saúde para reinvindicar — Foto: Arquivo pessoal

Agentes de endemias e de saúde de Senador Guiomard, interior do Acre, cobram a prefeitura e Secretaria Municipal de Saúde um aumento no auxílio-alimentação. Atualmente, a categoria recebe R$ 100 de auxílio e quer que o valor aumente para R$ 1 mil.

Nesta segunda-feira (23), um grupo de cerca de 15 pessoas esteve na sede da secretaria para tentar falar com a prefeita ou a secretária Dayana Reis, mas não conseguiu.

Ao G1, a agente de saúde Michele Souza falou que o grupo passou a exigir o aumento quando a prefeitura divulgou que vai pagar R$ 1 mil de auxílio-alimentação para os professores.

Secretaria de Saúde da cidade falou que está em tratativas com a categoria desde fevereiro  — Foto: Arquivo pessoal

Secretaria de Saúde da cidade falou que está em tratativas com a categoria desde fevereiro — Foto: Arquivo pessoalhttps://738c6a4d2b6837ac8d4cbbefb2cb8ac0.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

“Semana passada saiu uma matéria dizendo que vão pagar R$ 1 mil para a educação. Já pagavam
R$ 400 para eles e agora vão pagar mais R$ 600, chegando a R$ 1 mil. Tentamos falar com a prefeita, mas ela se recursou a falar, a secretária chegou e nem falou com a gente”, destacou.

A secretária Dayana Reis afirmou que está em negociação desde fevereiro com o sindicado dos servidores também sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) da categoria. Segundo ela, já foram feitas várias reuniões e encontros com todas as categorias da saúde e o setor jurídico.

“Infelizmente, existe uma lei que impede esse reajuste. Que para os servidores da Saúde entraria com RP (Recurso Próprio), ao contrário da Educação”, destacou.

A reportagem não conseguiu falar com a prefeita Rosana Gomes.

Valor insuficiente

Um agente de endemias que trabalha na cidade há cinco anos e pediu para não ter o nome divulgado falou que o valor é insuficiente para o sustento dele e da família. “O negócio é brabo, é complicado. Tem pouco tempo que passamos a receber, sempre foi R$ 100”, resumiu.

fonte: g1acre