seg. out 18th, 2021

Saúde do Acre busca vaga em hospital especializado em queimados para transferir Josué Amaral, de 20 anos. Rapaz está internado na UTI do PS em estado grave desde o último dia 22.


Josué Amaral deve ser transferido para um hospital especializado no atendimento em queimados — Foto: Arquivo pessoal

O trabalhador rural Josué de Souza Amaral, de 20 anos, que teve 95% do corpo queimado após um acidente doméstico com uma lamparina no interior do Acre, continua internado na UTI do Pronto Socorro de Rio Branco em estado grave. Por conta da gravidade, a Saúde do estado tenta conseguir uma vaga em um hospital de referência em queimados para transferi-lo.

A mãe de Amaral, Ioneda Souza, foi informada sobre a transferida e começou a dar entrada na papelada no Tratamento Fora do Domicílio (TFD).

A direção do PS informou que a situação de Amaral é gravíssima e, provavelmente, ele irá precisar de um enxerto de pele, o que não é feito no estado acreano. Porém, ainda não foi definido para qual estado o paciente deve ser transferido.

Amaral está na enfermaria de queimados do PS desde o último dia 22 após ser transferido do Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul, para a capital.

“A médica me falou que ele vai ser removido para outro lugar e vamos tentar pelo TFD. Não me explicou para onde ainda, o TFD que vai dizer o lugar. Nunca sai [do estado], estou atrás dos papeis e dando entrada na viagem”, relatou Ioneda.

Ainda segundo a mãe, o rapaz agora tem uma infecção adquirida no hospital. “Ele está com febre e conseguir ir ao banheiro. Estão diminuindo a sedação dele”, lamentou.

Amaral se acidentou no dia 13 de setembro com uma lamparina que causou uma explosão na casa onde ele morava com o pai, no Ramal Bom Vento, entre os municípios de Rodrigues Alves e Mâncio Lima. A casa ficou destruída e eles perderam tudo.

O jovem ficou com 95% do corpo queimado após a casa explodir. Ele segurava a lamparina, já que a casa onde morava não tinha energia elétrica e, sem saber, foi até um quarto onde havia gasolina quando a explosão aconteceu.

Trabalhador rural ficou com 95% do corpo queimado após acidente com lamparina — Foto: Arquivo pessoal

Rede de apoio

Amaral tinha se mudado para a casa do pai recentemente e, por isso, não sabia da gasolina armazenada. Eles perderam tudo. A professora Camila Melo, que é coordenadora no ramal onde o acidente ocorreu, disse que não conhece a família, mas que quando ficou sabendo do acidente e resolveu se unir a outras pessoas e pedir ajuda para a família.

Foi montado um posto de arrecadação para quem quiser doa roupas, alimentos, produtos de limpeza, de higiene pessoal e outros itens pessoais para a família. Há pontos de arrecadação em Rodrigues Alves, Mâncio Lima e Cruzeiro do Sul.

Também é disponibilizada uma conta bancária para quem preferir fazer doações em dinheiro. Parte desses recursos, segundo a professora, deve ser encaminhado para Ioneda gastar enquanto ficar com o filho na capital acreana.

Com a nova viagem, a mãe de Amaral vai precisar de recursos para se manter em outro estado. Por isso, a coordenadora Camila Melo pediu ajuda financeira para a família. “Um amigo meu está ajudando ela em Rio Branco, levando e trazendo”, frisou.

fonte: g1acre