seg. ago 8th, 2022


Ação do Ministério da Saúde ocorreu nesse sábado (22) na Policlínica Barral y Barral — Foto: Iryá Rodrigues/g1

Ação do Ministério da Saúde ocorreu nesse sábado (22) na Policlínica Barral y Barral — Foto: Iryá Rodrigues/g1

Cerca de 46% das pessoas que foram atendidas na ação do Ministério da Saúde, que ocorreu neste sábado (22) na Policlínica Barral y Barral, testaram positivo para Covid-19. Os dados são do Departamento de Vigilância Epidemiológica de Rio Branco.

Conforme o levantamento, do total de 600 pessoas testadas, 275 deram positivo para a infecção pelo novo coronavírus. O departamento não soube informar quantas pessoas foram imunizadas contra a Covid na ação.

atendimento foi limitado por distribuição de 600 senhas. Por isso, muitos pacientes tiveram que voltar para casa sem conseguir fazer o teste da Covid-19 ou mesmo tomar a vacina contra a doença.

Na noite de sexta-feira (21), a Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco informou que o posto da Vila Ivonete estaria fechado e que todos os atendimentos seriam remanejados para a policlínica. Ocorre que os atendimentos no Barral y Barral eram limitados nesse sábado (22) e a informação pegou muitos de surpresa.

Das 600 pessoas atendidas em ação do Ministério da Saúde em Rio Branco, 275 testaram positivo para Covid-19  — Foto: Iryá Rodrigues/g1

Das 600 pessoas atendidas em ação do Ministério da Saúde em Rio Branco, 275 testaram positivo para Covid-19 — Foto: Iryá Rodrigues/g1

Foi o caso da jornalista e professora Valéria Santana que chegou na policlínica pouco depois das 9h e não conseguiu tomar a dose de reforço. Ela lamentou a situação, já que a limitação dos atendimentos não foi divulgada pelo Ministério.

“Não é só a frustração, é a exposição, o risco que a pessoa está correndo em ter ido até um lugar que é para oferecer um atendimento de saúde para a população toda, mas está limitado por senha. Vi idoso tendo que voltar, famílias indo levar crianças para vacinar e voltar. Perguntei se era só para a testagem, mas me informaram que também era para a vacina”, lamentou.

A superintendente estadual do Ministério da Saúde no Acre, Keyla Maziero, confirmou que foram distribuídas apenas as 600 fichas para testes. Ela não soube informar quantas doses de vacina estavam disponíveis no Barral.

“Para a testagem, foram 600 fichas apenas. Essa é uma ação que está acontecendo simultaneamente em todas as capitais da região Norte, então, 9h estava marcado o evento de transição que era essa participação do ministro, a campanha começou às 8h, mas, como nossa procura tem sido alta, as fichas de testes logo acabaram”, explicou.

Ela afirmou que a logística no local era de quem testasse positivo passava pelo médico que fazia o atendimento e encaminhava para a farmácia. Já quem teve o resultado negativo tinha a possibilidade de vacinar.f

fonte: g1acre