ter. jun 28th, 2022


Em Cruzeiro do Sul, nove servidores do Samu estão afastados por Covid e serviços são reduzidos — Foto: Jhonathas Fabrício/Rede Amazônica Acre

Em Cruzeiro do Sul, nove servidores do Samu estão afastados por Covid e serviços são reduzidos — Foto: Jhonathas Fabrício/Rede Amazônica Acre

A nova onda de Covid-19 tem afetado diretamente vários serviços em todo o estado. Em Cruzeiro do Sul, nove funcionários do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) estão afastados por conta de contaminação ou sintomas da doença e os serviços foram reduzidos.

Ao todo, sete estão com teste positivo para infecção e outros dois foram afastados após apresentarem sintomas e ainda vão passar por exame. Entre eles, técnicos de enfermagem, enfermeiros, telefonistas e condutores. A informação foi confirmada ao g1 pela coordenadora do Samu na cidade, Ellen Taveira.

Ela chegou a emitir um comunicado à população de Cruzeiro do Sul informando que estão dando prioridade para os atendimentos de casos de urgência e emergência e pedindo compreensão de todos neste momento.

“Na realidade, o comunicado não tem intenção de dizer que o serviço está parado. E sim em alguns casos que às vezes o Samu atende, que não são de urgência e emergência, podem demorar a ser atendidos por conta dessa situação. Estamos cobrindo as escalas, até porque é um serviço que não pode parar e a falta de um enfermeiro na equipe já abala o serviço. A ideia é dizer para a população que estamos passando por um período complicado”, disse a coordenadora.

O coordenador do Samu no estado, Pedro Pascoal ressaltou que o Samu, na verdade, tem como objetivo fazer o atendimento de situações de urgência ou emergência.

“O problema é que a população acaba não tendo esse conhecimento. Estamos vendo que pacientes com síndrome gripal, principalmente os que estão imunizados contra a Covid, não desenvolvem forma grave da doença. Problema é que querem ir para unidade hospitalar pelo Samu porque sabem que quando entram pelo Samu já são atendidos pela emergência, mais rápido. Então, quando o médico regulador observa que não há sinais de gravidade, só orienta realmente”, afirmou Pascoal.

Veja comunicado do Samu de Cruzeiro do Sul na íntegra:

A coordenação do SAMU de Cruzeiro do Sul, vem por meio deste, informar à população do vale do Juruá que em virtude da nova onda de pandemia pela Covid-19, estamos trabalhando com quadro pessoal deficitário, onde vários profissionais da nossa equipe testaram positivo para a doença.

Em razão disso, nossos serviços também estão reduzidos, devido à baixa de profissionais na equipe. Sendo assim, pedimos compreensão de todos os usuários e solicitantes, uma vez que apenas ocorrências de maior gravidade estarão sendo atendidas, priorizando sempre a saúde de pacientes em urgência/emergência, e mantendo a equipe de prontidão para essas ocasiões.

Contamos com a compreensão e colaboração de todos.

Terceira onda

 

O Acre registra, nos 29 dias de janeiro, 9.445 casos novos da doença, conforme dados do boletim diário divulgado pela Sesacre, um salto significativo comparado a dezembro do ano passado que fechou com 171 casos novos.

No último dia 22, o estado chegou à marca de 1.529 casos novos em 24 horas e registrou um novo recorde. A explicação para o aumento é a chegada da variante Ômicron no estado.

O boletim de leitos divulgado diariamente pela Saúde mostra que em todo o estado há 76 pessoas internadas, sendo 66 com teste positivo. Dos 30 leitos de UTI existentes, 17 estão ocupados. São 20 leitos de UTI em Rio Branco e 10 em Cruzeiro do Sul. Com relação às enfermarias, há um total de 59 pessoas internadas, sendo que tem somente 53 leitos, com isso a taxa de ocupação é de 109,43%.

Com o aumento no número de casos, as unidades de saúde voltaram a ficar lotadas em Rio Branco. A busca por testes em farmácias também aumentou.

Os médicos que atendem na rede básica de saúde de Rio Branco suspenderam de forma temporária a greve da categoria que já durava mais de um mês. A decisão ocorre devido a terceira onda de Covid que atinge o estado acreano com elevação de casos da doença.

fonte: g1acre