sáb. jul 2nd, 2022

Prefeito cumpriu ainda três promessas parcialmente. Levantamento exclusivo do g1 mostra o andamento das promessas ano a ano.


Bocalom fez 49 promessas de campanha e o g1 acompanha ano a ano o status de todas elas  — Foto: Arte/g1

Bocalom fez 49 promessas de campanha e o g1 acompanha ano a ano o status de todas elas — Foto: Arte/g1

Um ano depois de ter assumido a prefeitura de Rio Branco, Tião Bocalom cumpriu totalmente uma das 49 promessas feitas durante campanha eleitoral, em 2020, o que corresponde a 2% do total. Além disso, o prefeito também cumpriu parcialmente três promessas, o equivalente a 6% de todo o projeto.

Com mais três anos de mandato pela frente, Bocalom ainda precisa entregar 48 promessas que o fizeram ganhar o pleito com 62,93% de votos.

É o que aponta o levantamento exclusivo do g1, que monitora o que pode ser cobrado e medido do que foi prometido pelo prefeito da capital, tanto no programa registrado no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) quanto em entrevistas e debates com a participação do político.

Ao visitar a página especial, é possível verificar todas as 49 promessas de Bocalom e conferir o status de cada uma delas até 31 de dezembro de 2021, um ano após o início da sua primeira gestão. Também é possível visualizar a explicação sobre cada uma das atualizações, com base nas respostas da prefeitura e no que foi apurado pela equipe de reportagem do portal.

Áreas com mais promessas

Das 49 promessas feitas por Bocalom, 15 são na área de Educação e Cultura e nenhuma delas foi cumprida, nem parcialmente.

A maioria das promessas nessa área é sobre criar escolas, aumentar vagas em creche e também criar uma disciplina de empreendedorismo no ensino básico da capital.

Em ambos os casos, os gastos devido à pandemia da Covid-19 e a falta de dinheiro são os entraves para as promessas não terem saído do papel, de acordo com a prefeitura. A gestão também alega que ainda está montando o plano para os próximos anos já que neste primeiro mandato trabalhou ainda com o orçamento definido pela antiga gestão.

fonte: g1acre