sáb. jul 2nd, 2022

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSB) pretendem fazer juntos uma série de viagens em maio e junho em estados considerados estratégicos para a campanha com o objetivo de apresentar a chapa que disputará a Presidência da República. As agendas estão previstas para começar depois do próximo sábado (7), data divulgada para o lançamento oficial da pré-candidatura em um evento em São Paulo.

Em Minas Gerais, maior colégio eleitoral do país, a intenção do PT é que a dupla Lula e Alckmin visitem juntos. Mas ainda não há definição do cronograma da agenda e qual será o primeiro estado visitado após a chapa formalizada. Na próxima quinta (5), ambos participam de eventos em Campinas, em São Paulo.

Entre maio e junho, Lula e Alckmin também pretendem ir juntos ao Rio Grande do Sul e Santa Catarina – estados em que o presidente Jair Bolsonaro (PL) pontua melhor das pesquisas de intenção de voto – Pará e Amazonas, na região Norte do Brasil. O partido enxerga dificuldades para bater o atual presidente da República no Centro-Oeste, mas ainda não há um plano estabelecido pela coordenação de campanha para atuar na região.

Depois, a ideia é que ambos façam algumas viagens separados e que Alckmin atue para fortalecer a candidatura de Lula em locais estratégicos, como o interior de São Paulo, para tentar diminuir resistências ao petista em setores com quem dialoga melhor, como religiosos.

Para o ex-governador do Piauí Wellington Dias, que é um dos coordenadores políticos da campanha de Lula, a apresentação da chapa marca o encerramento do ciclo de participações dos dois em eventos de partidos aliados. Nesta terça (3), ambos participam do ato de adesão do Solidariedade a campanha de Lula à Presidência. “Definidos os partidos que estarão conosco, vamos, claro, continuar conversando com a ala do MDB que vai apoiar Lula, com o PSD e com lideranças do Republicanos, sobretudo no Nordeste, que estarão conosco”, afirmou Dias.

Por CNN Brasil