qua. maio 25th, 2022

A Polícia Civil do Acre emitiu um alerta nesta terça-feira (25). Segundo a instituição, vem sendo cada vez mais comum as pessoas utilizarem redes sociais para divulgar sua empresa e vender seus produtos de maneira fácil, rápida e com custo bem reduzido para tal fim.

No entanto, segundo a polícia, é necessário que se tome alguns cuidados, uma vez que alguns golpistas se utilizam desses canais de vendas para ludibriar vítimas. “O lojista deve ter muito cuidado ao efetuar compras de produtos anunciados na internet (OLX, Facebook, Instagram, etc.) com valores atraentes, pois os golpistas estão atuando nessa área também. Embora faça a atenção para os lojistas, esse golpe pode acontecer com qualquer pessoa que adquira produtos pela internet”, diz a polícia.PUBLICIDADE

Como ocorre esse golpe?

– O estelionatário publica um anúncio de venda na internet com valores de produtos bem atraentes;

– A vítima, vislumbrada com os valores, faz contato com o suposto vendedor; normalmente esse contato fica apenas por meio de aplicativos de mensagens, como por exemplo o WhatsApp, Messenger, Direct, Telegram, etc. Não há um contato direto ou ao menos uma chamada de vídeo para você saber com quem está falando e tirar print da imagem, do rosto do suposto vendedor;

– O suposto vendedor negocia com o lojista ou qualquer comprador apenas por meio do WhatsApp, Messenger, Direct, Telegram ou qualquer outro aplicativo de mensagens;

– Acertam a quantidade de produto desejada pelo lojista ou pelo comprador e fecham os valores e a forma de pagamento, o qual pode ser por meio de transferência, Pix, depósito ou mesmo pagamento de boleto;

– A vítima transfere, faz Pix ou deposita a quantia ajustada para a conta bancária do golpista que, em regra, fica em outro município ou estado, ou ainda efetua o pagamento do valor negociado através de boleto, caindo em outro golpe, o do boleto falso;

Para se prevenir, a polícia orienta que sempre que for realizar uma compra pela internet, anotar a URL (link), o qual está na barra de endereçamento do seu navegador de internet; eventual nome do perfil do usuário da rede social ou do serviço prestado pelos sites de compra e venda; o número do telefone, e-mail e qualquer outro dado que apareça no anúncio de venda do produto;

“Nunca negocie a aquisição ou venda de produtos apenas por mensagens de texto – fale por telefone e vídeo chamada, gravando as conversas por meio de aplicativos encontrados no play store (para celulares android) ou apple store (para celulares IOS)”, explica.

Além de gravar o diálogo de áudio ou mesmo vídeo chamada, tire prints do histórico da chamada e, também, de eventual conversa realizada através de textos (nunca converse apenas por mensagens de texto). “Desconfie se no anúncio consta uma empresa e o vendedor envia dados de uma pessoa física. Sempre solicite o CNPJ da empresa e, sendo pessoa física, peça o CPF, realizando as pesquisas dos respectivos números e nomes no Google e, também, no site da Receita Federal”, salienta.

Antes de efetuar qualquer transferência ou depósito, pesquisar o número da agência no Google e verificar em qual município e estado a agência bancária está sediada. “Compare a sede dessa agência bancária com o endereço da empresa ou da pessoa física pesquisada por você no Google e no site da Receita Federal. Se houver divergência, não efetue a transação bancária e prefira comprar o produto de sites confiáveis”.

fonte: ac24horas