• dom. fev 25th, 2024

Pimenta: Aleac integra força tarefa contra importunação sexual na Expoacre

ByEdnardo

jul 25, 2023

Durante o evento serão distribuídos leques informativos e outros materiais de divulgação

Patrulha

O presidente da Aleac, deputado Luiz Gonzaga (PSDB), esteve reunido em seu gabinete nesta segunda-feira (24), com representantes do Tribunal Justiça para tratar, entre outros assuntos, de uma campanha do TJ contra a importunação sexual contra as mulheres durante a Expoacre. A campanha prevê uma força tarefa envolvendo a Coordenadoria da Criança e do Adolescente, sob coordenação da desembargadora Eva Evangelista; o Ministério Público, a Polícia Civil e a Patrulha Maria da Penha. Durante o evento serão distribuídos leques informativos e outros materiais de divulgação.

Sinal vermelho

Campanhas de proteção à mulher contra importunação sexual e outras formas de violência são sempre oportunas, principalmente quando o Brasil começa a bater seus recordes de ocorrências. Segundo números do 17º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, os casos registrados de estupro aumentaram em 8%, sendo 88,7% das vítimas do sexo feminino. O levantamento aponta ainda que a maior parte desses crimes aconteceu na casa da vítima e que os agressores são conhecidos, inclusive quando as vítimas têm de 0 a 13 anos. O crime de feminicídio também registrou números maiores em 2022. As mulheres negras representam 61,1% das vítimas e os algozes são, em maioria, os parceiros e ex-parceiros.

Executivo

Em pleno recesso parlamentar, o presidente da Aleac, Luiz Gonzaga, em vez de gozar férias, ocupou o cargo de governador durante a ausência de Gladson e Mailza Assis no último sábado quando aproveitou para fazer as honras de chefe de Estado à Expo Bujari, a feira agropecuária da cidade administrada por seu amigo Padeiro. Já na segunda-feira, 24, Gonzaga foi visitar obras de benfeitorias em andamento na Aleac e se reunir com o pessoal do Tribunal de Justiça.

Visitas

Quem também não está aproveitando o recesso para curtir férias é o primeiro-secretário da Aleac, Nicolau Júnior (PP). O parlamentar recebeu em seu gabinete nesta segunda-feira, 24, o vice-prefeito de Cruzeiro do Sul, professor Henrique Afonso, acompanhado por seu chefe de gabinete, Emerson Amorim, e o motorista Divino Ferrari. Aliás, não é mera coincidência a presença na Aleac, em plena segunda-feira de recesso parlamentar, dos dois principais membros da Mesa Diretora. Luiz Gonzaga e Nicolau Júnior têm acompanhado o governador Gladson Cameli em grande parte de suas agendas e o governador não está em recesso.

Negócios com a China

Desde 2019 quando esteve na China como único governador da comitiva do ex-presidente, o governador Gladson Cameli vem realizando tratativas para abocanhar um naco daquele que é o maior mercado do mundo. Na semana passada, acompanhado pelo presidente da Federação das Indústrias do Acre (Fieac), José Adriano, Gladson se reuniu com o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Josué Gomes da Silva, em busca de apoio para comercialização de produtos derivados da floresta com a gigante chinesa Shein, uma das maiores empresas de comércio digital do mundo.

Coteminas

O que a Fiesp tem a ver com a Shein? A federação nada, mas José Gomes é dono da Coteminas, empresa que fechou acordo com a Shein que prevê a inclusão de duas mil confecções do conglomerado mineiro entre seus fornecedores para atender os mercados da América Latina. A parceria inclui ainda o financiamento para capital de trabalho e contratos de exportação de produtos para o lar.

Parcerias

De acordo com o governador Gladson Cameli, é fundamental buscar parcerias para desenvolver a área comercial no Acre. “Investir no setor industrial é fundamental para o desenvolvimento do Acre e também para a geração de emprego e renda ao nosso povo”, declarou. Na mesma linha de raciocínio do chefe do executivo acreano, o presidente da Fieac, José Adriano, revelou que a visita foi de aproximação do estado do Acre com São Paulo, por meio das federações das indústrias dos dois estados.

Exposição

De acordo com José Adriano, durante a visita receberam um desafio de expor produtos regionais na capital paulista. “Além do desafio feito ao Presidente Josué para investir no Acre, teve também uma contra proposta de fazermos uma apresentação posteriormente, visando explorar a relação comercial entre o presente Josué e a Shein dos produtos acreanos derivados da floresta, inclusive do bambu”, comentou Adriano.

Plano

Combate à corrupção, à oferta de drogas ilícitas, ao crime organizado e ações de prevenção ao racismo, à homofobia e ao feminicídio, estão entre as prioridades do novo Plano Estadual de Segurança Pública e Defesa Social – PESPDS – que o governo do Estado publicou no Diário Oficial nesta segunda-feira, 24. O Acre aparece entre os primeiros colocados nas estatísticas de ocorrências desta natureza.

Alinhamento

De acordo com o decreto, o novo plano revoga matéria anterior para alinhar a estratégia estadual com a Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social (PNSPDS) e com o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (PRONASCI). Na última semana, o Fórum Nacional de Segurança Pública divulgou os resultados do anuário de criminalidade, referentes aos dados de 2022 mostrando que o Acre figura entre as maiores médias estaduais de uma série de crimes.

Homofobia

O crime de homofobia, certamente, não está entre as maiores ocorrências registradas no Acre, mas que há, há. E muito. O caso registrado contra um procurador da República no Mercado do Bosque, domingo passado, 23, não é uma raridade e só veio a público porque a vítima foi uma autoridade. Para quem ainda não sabe, domingo a autônoma Nathane Julia dos Santos, de 30 anos, foi presa depois de dirigir palavras ofensivas ao procurador. Foi liberada na audiência de custódia depois de alegar que cuida de um filho autista de 3 anos.

Diversidade

O delegado plantonista, Alexnaldo Batista, que autuou a mulher em flagrante, informou que qualquer pessoa que for vítima de ofensas racistas ou de cunho sexual deve acionar as forças de segurança através do número de emergência 190 e procurar a delegacia mais próxima, garantindo que todas as providências serão tomadas de acordo com a lei. “Os atos de homofobia são considerados crime e devem ser tratados com seriedade pelas autoridades. A população deve ser encorajada a denunciar qualquer tipo de agressão ou ofensa de cunho homofóbico, a fim de promover a segurança e o respeito à diversidade da sociedade”, disse Alexnaldo Batista.

Guerra santa

A intolerância religiosa também é crime previsto em lei, mas não está entre as prioridades do plano estadual de segurança. O Código Penal Brasileiro (Decreto-Lei 2.848/1940), em seu artigo 208, estabelece que é crime “escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso”. Recentemente um terreiro de umbanda foi atacado por criminosos supostamente evangélicos em Rio Branco e a Marcha para Exu, que será realizada em todo o Brasil no próximo dia 13 de agosto, teve que mudar de nome no Acre.

Exu

Diversas cidades brasileiras estão divulgando a realização da 1ª Marcha para Exu no próximo dia 13 de agosto e não há notícia de que grupos evangélicos tenham criado problemas por isso. Mas, em Rio Branco, o líder espiritual Matheus de Oxossi, está divulgando nota esclarecendo que a marcha foi rebatizada como “Evento de louvação a EXU nas ruas: Laroye!” Segundo a nota, a mudança do nome se deu por conta da repercussão negativa entre os evangélicos. Repercussão negativa não seria sinônimo de intolerância?

De boas

A nota de esclarecimento de Matheus de Oxossi é uma aula de humildade e resignação. “A organização do evento Marcha para Exu consciente da repercussão negativa que obteve entre as comunidades evangélicas, resolveu em unânime acordo modificar o título do evento, porém manter o objetivo, que é de louvar Exu em harmonia com as casas, comunidade e simpatizantes em geral, sob o intuito de arrecadação de donativos para a caridade. Desta forma, buscamos apenas mostrar nossa religião pacificamente, com muita devoção e amor. Cremos que todas as religiões deveriam ser unidas em prol da caridade e da fé. Desde já agradecemos a compreensão de todos, buscamos fazer nossa parte em proposta a paz e união extinguindo a discriminação religiosa”.

Fechou o tempo

Em greve desde a última quarta-feira (19), servidores de apoio da Educação do Acre voltaram a protestar em frente à sede da prefeitura de Rio Branco nesta segunda-feira (24). Os manifestantes tentaram entrar no prédio, e um princípio de tumulto foi registrado no momento em que um carro no qual estaria Tião Bocalom deixou o local.

Bino

Mais tarde o chefe do Gabinete Militar da Prefeitura, coronel Ezequiel Bino, emitiu uma nota esclarecendo que diante da intenção dos manifestantes de bloquear o veículo oficial que transportava o prefeito em uma via pública, a equipe de segurança decidiu agir rapidamente e conduzir o veículo para a avenida Ceará, utilizando procedimentos de trânsito para evitar acidentes.

Nota

O coronel Bino lembrou em sua nota à imprensa que cabe ao Gabinete Militar zelar pela segurança pessoal do prefeito. “Ao ficar claro que os manifestantes pretendiam bloquear, em via pública, o veículo oficial que transportava o prefeito, no cruzamento da Rua Rui Barbosa com a Av. Getúlio Vargas, a equipe de segurança pessoal, incontinenti, decidiu conduzir o veículo para a Av. Ceará, utilizando-se de procedimentos de trânsito para evitar acidentes. Tanto que alguns manifestantes chegaram a abordar o carro do prefeito na saída do estacionamento. Este procedimento evitou eventual acidente de trânsito em desfavor dos manifestantes, e eventuais conflitos, mostrando-se extremamente necessário”, argumenta Bino.

Política

Ao ContilNet, o diretor de Comunicação da Prefeitura, Ailton Oliveira, disse que a Prefeitura entrou com um processo pedindo a ilegalidade do movimento e considera injusta a paralisação. Os servidores reivindicam que o aumento de 14,95% concedido aos professores do Magistério também seja estendido aos auxiliares de ensino – coordenadores, mediadores, gestores, vigias e assistentes. De acordo com Ailton Oliveira os servidores tiveram cerca de 60% de reajuste e que o movimento tem cunho político. “A prefeitura acha injusto com os pais e alunos que os servidores que ganhavam R$ 900 e passaram a ganhar R$ 1.500, além de R$ 1000 de abono, estejam fazendo greve”, destacou Ailton.

U:Verse

A deputada federal Socorro Neri (Progressistas) usou as redes sociais nesta segunda-feira (24) para afirmar que vai acionar o Ministério da Educação (MEC) para apurar os prejuízos causados a alunos com o encerramento das atividades do Centro Universitário U:Verse, em Rio Branco. A instituição anunciou o encerramento das atividades a partir do dia 30 de junho. Entre os motivos que levaram ao fechamento, a direção da instituição em nota citou a pandemia da covid-19 e a grande evasão de alunos.

Twitter

À época do anúncio, a U:Verse prometeu que os estudantes seriam transferidos para a Unimeta, mas não cumpriu. O Ministério Público do Acre (MPAC) interveio no caso e vai realizar uma audiência pública para debater uma solução. No Twitter, Socorro Neri afirmou que a instituição praticou um calote contra os estudantes e prometeu acionar o MEC. “O que a U:VERSE está fazendo com os estudantes é CALOTE. Não aceitaremos! Oficiei ao MEC, ministro @CamiloSantanaCE , e ao MPAC. Estamos acompanhando!”, tuitou a deputada.

FONTE: CONTILNET

By Ednardo