ter. jun 28th, 2022

Uma professora de 40 anos registrou um boletim de ocorrências relatando ter sido assaltada e abusada durante um passeio no Horto Florestal na última sexta-feira, 6. A mulher, que não quer ter nome revelado, contou que estava com sua filha de apenas 9 anos de idade, com um sobrinho de 2 anos e uma amiga da sua filha, também de 9 anos, andando por uma das trilhas do local, quando foi surpreendida pelos criminosos encapuzados que saíram de dentro da mata com os rostos cobertos e armados. Além de assaltar e espancar, os homens ainda tocaram nas partes íntimas de mãe e filha.

Este não é o primeiro caso de violência registrado no Horto Florestal. O ac24horas procurou o secretário de meio ambiente de Rio Branco, Normando Sales, responsável pela administração do local que confirmou que o local é inseguro. Sales critica a Polícia Militar. “Estamos em tratativas desde abril que a gente vem buscando a intervenção da Polícia Militar para nos ceder um sargento para cuidar do sistema de segurança de todas as unidades de preservação e de tratamento de resíduos do município e não temos conseguido lograr êxito. Aí alguém pode dizer que na gestão passada tinha essa parceria, realmente existia, mas era todo mundo do mesmo lado. Hoje, infelizmente, está tendo essa dificuldade”, diz Sales.

O gestor lembra que não há sistema próprio de segurança e confirma que o Horto não é seguro para a comunidade. “Eu não estou transferindo a responsabilidade para a PM, mas infelizmente não temos um sistema de segurança próprio para essas unidades. Em se tratando especificamente para aquela parte de floresta onde ficam as trilhas, realmente temos uma situação delicada. Eu mesmo já flagrei pessoas em comportamento duvidoso e, obviamente, que nunca ando sozinho ali dentro, sempre com duas ou três pessoas. A parte externa, que fica para o lado da Sapolândia, eles quebram quantas vezes fizermos o muro. Como não temos câmeras de monitoramento, temos dificuldade de identificar”, diz Normando.

Sales diz ainda que se solidariza com a família e que espera que o episódio possa ajudar a promover segurança no local. “Nos solidarizamos com a família e vamos dar todo o apoio. Em que pese o Horto ser um local agradável e com a presença de muitas famílias, precisamos pensar na segurança. Eu creio que a partir desse episódio possamos até ter um argumento a mais para sensibilizar a polícia militar para termos um profissional qualificado para cuidar disso pra nós”, finalizou.

fonte: ac24horas