sáb. jul 2nd, 2022

A Fundação Municipal de Cultura, Esporte e Lazer Garibaldi Brasil (FGB), divulgou na tarde desta segunda-feira, 06, o resultado preliminar da análise de mérito dos projetos apresentados por artistas para captação de recursos.

Na lista, 95 projetos não foram contemplados, dentre eles, o projeto musical do “Papai Noel Gay”, que virou uma grande polêmica nas redes sociais, e com alvos de protestos contra e a favor do artista, Anderson Cassidy de Alves Montenegro.

O musical seria apresentado em Rio Branco voltado para o público maior de 18 anos. No documento, o projeto de Anderson Cassidy foi classificado com a nota 77, ficando abaixo da pontuação necessária para a classificação na lista dos contemplados que era de 97 pontos.

Em entrevista recente ao ac24horas, o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (Progressistas), afirmou que pediria a Comissão de Cultura da FGB o veto ao projeto. Segundo o gestor, o projeto buscava desconstruir a figura do Papai Noel perante as crianças.

Instituições reagem contra as declarações do prefeito

Após as declarações dadas pelo prefeito, de que iria barrar a aprovação do musical, a Defensoria Pública da União (DPU) recomendou que o gestor pare de disseminar fake news e discurso de ódio.

Na recomendação, a DPU destacou que as manifestações públicas feitas por Bocalom alimentam o ódio e a intolerância, ao deturpar a finalidade e o público-alvo do projeto e propagar discurso homofóbico. O órgão deu ainda um prazo de 10 dias para que o gestor responda se vai ou não acatar a recomendação.

Já nesta segunda-feira, 6, o Ministério Público Federal (MPF) instaurou inquérito civil para apurar eventual censura e conduta homotransfóbica da Prefeitura de Rio Branco, capital do Acre, ao solicitar o veto do projeto cultural “Papai Noel Gay” à Fundação Garibaldi Brasil (FGB), que avalia tecnicamente os projetos a serem financiados pela municipalidade.

O procurador regional dos Direitos do Cidadão Lucas Costa Almeida Dias requisitou informações da FGB, que deverá encaminhar cópia do projeto “Papai Noel Gay” e prestar informações sobre o pedido de veto realizado pelo prefeito de Rio Branco, bem como por outras autoridades públicas.

Ex-presidente da FGB

O ex-presidente da Fundação Garibaldi Brasil (FGB), Sérgio de Carvalho, reagiu às declarações do atual prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom, na última sexta-feira, 3, acerca do projeto cultural do “Papai Noel Gay”, que foi apresentado na instituição.

Para Sérgio de Carvalho, as declarações do prefeito de que interviria na comissão mostram uma atitude inédita e autoritária, visto inclusive, como “censura”, de acordo com o ex-gestor do órgão.

“Se o prefeito Bocalom interferir na seleção dos projetos da Fundação Garibaldi Brasil e pedir o arquivamento da proposta “Papai Noel Gay”, como se pronunciou, irá ferir o Sistema Municipal de Cultura e passar por cima, de forma arbitrária, inédita e autoritária, do Fórum de Cultura e de todos os participantes que indicaram a Comissão de Avaliação. Será CENSURA! Que nunca aconteceu em toda a história da FGB”, afirmou.

fonte: ac24horas