sex. ago 5th, 2022

Secretário também fala dos acertos do Governo Gladson Cameli e abre o coração para falar do amor pela prefeita de Brasileia, Fernanda Hassem, com quem está de casamento marcado

Médico de formação, ele agora opera em campos diferentes da medicina: a política e o meio ambiente. Israel Milani, o secretário de Estado de Meio Ambiente, na entrevista a seguir, fala de suas ações à frente do órgão, dos acertos do Governo Gladson Cameli em relação ao agronegócio e ao meio ambiente e também abre o coração para revelar o amor e paixão pela prefeita de Brasileia, Fernanda Hassem, sua namorada, do PT e diametralmente opostas às sua ideologias.

No entanto, o secretário, que confirma uma pré-candidatura sua à Câmara Federal e de sua mãe, a atual deputada federal Vanda Milani, ao Senado, acha que não só terá a petista Fernanda Hassem os apoiando como ela será coordenadora do processo de suas campanhas.

Mesmo ideologicamente opostos, ambos já estão de casamento marcado, admite o secretário. Milani também reconhece o legado de Chico Mendes e diz que Rondônia é um Estado agro querendo ser verde enquanto o Acre é verde querendo ser agro.

Foto: Reprodução/Instagram

A seguir, os principais trechos de uma entrevista com o secretário:

ContilNet – Qual o significado de ser secretário de Meio Ambiente de um Estado Amazônico que perde, a cada ano, um pouco mais de suas Floresta?

Israel Milani – Sem dúvidas, ter assumido a Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Acre foi um dos maiores desafios da minha vida. Como sabem, sou médico de formação, e só aceitei o desafio pois sabia que poderia mudar a vida de cada um dos acreanos, nesta área. Me cerquei das melhores pessoas e técnicos que pude, demos continuidade ao que vinha dando certo e também colocamos a nossa marca de gestão, que sempre foi valorizar as pessoas que vivem em nosso Estado. E tivemos grandes avanços, como a criação do Centro Integrado de Geoprocessamento e Monitoramento Ambiental (Cigma), o qual tivemos o privilégio de ter na inauguração a presença do vice-presidente da República, Hamilton Mourão. Depois dessa inauguração, nos tornamos referência nacional em relação a monitoramento ambiental, isso nos credenciou a fazer até treinamentos ao Exército Brasileiro e outras importantes entidades do governo federal.

Depois do Cigma, vimos a capacidade de descentralizar as ações, então buscamos parcerias com os municípios para poder fazer capacitação com os técnicos municipais. Com isso cada vez mais conseguimos chegar na ponta, onde de fato a política pública tem que chegar. Começamos, então, a valorizar o ser humano que vive em nosso Estado, com políticas públicas voltadas aos moradores tradicionais e a toda a nossa gente. Fizemos muito além de cuidar do nosso Meio Ambiente, nós resgatamos a dignidade de nossa gente, fizemos em três anos de gestão, mais de mil quilômetros de ramais, entregamos 12 agroindústrias, fortalecemos a agricultura familiar, atendemos todas as comunidades indígenas com os Planos de Gestão Territorial, resgatamos a autoestima do setor madeireiro, e nesse quesito vale destacar que estimulamos os madeireiros por três anos consecutivos e esse setor passou a ser o PIB número um do Estado.

Reforçamos as missões de Comando e Controle, como nunca tinha sido feito em nosso Estado, fortalecemos nossos parceiros como o Batalhão de Policiamento Ambiental, o Ciopaer, além do fortalecimento do Imac. Estamos entregando uma das maiores obras do governo, que é o novo prédio do Imac. Só nesta obra foram gastos foram mais de R$ 5 milhões investidos. Ainda nesse fortalecimento institucional temos as construções dos Centros Integrados de Brasileia, Feijó e Cruzeiro do Sul, os quais somam mais de R$ 9 milhões de investimentos. Todas essas ações vêm fazendo com que o setor ambiental se destaque e se torne referência para todo o Brasil.

Ainda temos o projeto da Carreta Ambiental, o Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE), que também foram destaques tanto na COP26, quanto na revista da Associação Brasileira das Entidades de Meio Ambiente. Vale ressaltar que o Acre sempre oscilou entre o 6° ou 7° estado quando se fala em desmatamento, ou seja, continua sendo um dos estados que menos desmata dentro da Amazônia Legal Brasileira.

MAS O PRINCIPAL MARCO DE NOSSA GESTÃO, DE FATO, FOI A VALORIZAÇÃO DO SER HUMANO. AFINAL, SOMOS QUASE 1 MILHÃO DE HABITANTES, PESSOAS QUE HOJE NÃO MAIS SOBREVIVEM E SIM VIVEM EM NOSSO ESTADO, POIS SABEM QUE PODEM CONTAR COM UM GOVERNO PARCEIRO, QUE VALORIZA O SEU POVO E CUIDA DO MEIO AMBIENTE.

ContilNet – É possível conciliar desenvolvimento com a preservação do meio ambiente?

Israel Milani – Sem dúvida alguma. A prova disso tudo está aí para qualquer um ver, basta pegar o carro e sair de Assis Brasil, percorrer toda a nossa BR 317 até a divisa com o estado do Amazonas, para observar o avanço do milho e da soja em nosso Estado. O Agronegócio começa na pasta ambiental, quando nós reformulamos toda a parte de licenciamento, reduzimos a burocracia, sem desrespeitar o que determina o Código Florestal Brasileiro. Nós, da pasta ambiental, damos segurança jurídica para os investidores poderem vir ao Acre e começar a desenvolver o nosso Estado, e para tal fato não foi preciso avançar sobre as nossas florestas. Vale ressaltar que temos mais de 2,4 milhões de hectares de áreas consolidadas.

ME RECORDO MUITO BEM, AINDA NO PRIMEIRO ANO DE GESTÃO, PERGUNTEI AO NOSSO GOVERNADOR GLADSON CAMELI QUAL A ÁREA QUE ELE PRETENDIA PARA IMPLEMENTAR O AGRONEGÓCIO E A RESPOSTA FOI QUE PRECISARÍAMOS DE ALGO EM TORNO DE 450 MIL HECTARES, AÉREA ESSA QUE HOJE, DEPOIS DE LONGOS TRÊS ANOS DE ESTUDOS, FOI APROVADA E DEMONSTRADA NO NOVO ZEE DO ESTADO, O PRINCIPAL INSTRUMENTO NORTEADOR DA POLÍTICA PÚBLICA DO ACRE PARA OS PRÓXIMOS 10 ANOS. E NELE FOMOS ALÉM, INSERIMOS UM NOVO CAPÍTULO NO NOSSO ZEE, QUE FOI O DO AGRONEGÓCIO SUSTENTÁVEL, O QUAL NÃO EXISTIA NAS DUAS VERSÕES ANTERIORES.

Hoje vejo um Acre voltado ao desenvolvimento econômico, valorizando a nossa bioeconomia e apresentando um agronegócio sustentável cada vez mais forte.

ContilNet – Como o senhor avalia que Rondônia hoje tenhas cifras da Economia muito superiores as do Acre?

ISRAEL MILANI – TIVEMOS MODELOS DE DESENVOLVIMENTO DIFERENTES. ENQUANTO NOSSO ESTADO BUSCOU A LEGALIDADE, COM O ARCABOUÇO JURÍDICO, COM LEIS E UM DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SUSTENTÁVEL, RONDÔNIA BUSCOU O DESENVOLVIMENTO A QUALQUER CUSTO. SEMPRE COSTUMO BRINCAR QUE O ACRE É UM ESTADO QUE É VERDE E AGORA QUER SER AGRO E RONDÔNIA É UM ESTADO AGRO QUE QUER SE TORNAR VERDE. SABEMOS QUE “O MUNDO” VEM IMPONDO VÁRIAS RESTRIÇÕES AOS ESTADOS QUE ESTÃO EM PEGADAS DIFERENTES, DISTANTES DA CONSERVAÇÃO AMBIENTAL. O ACRE VEM FAZENDO UM TRABALHO PIONEIRO, FOCADO NUM AGRONEGÓCIO DE BAIXO CARBONO, QUE POSSA DESENVOLVER NOSSA AMAZÔNIA E AO MESMO TEMPO PRESERVAR O MEIO AMBIENTE.

ContilNet– A morte do Chico Mendes e os 20 anos de governos capitaneados pelo PT ajudaram ou não ao desenvolvimento do Acre?

Israel Milani – Todos nós temos e vamos deixar um legado. Com o Chico Mendes não foi diferente. Ele foi um visionário em seu tempo. Já pensou, um homem do interior do Acre falar de preservação ambiental há 35 anos? Qual foi o acreano que já discursou na ONU? Assuntos esses que hoje são destaque no mundo inteiro. Agora cabe a nós, os gestores de um novo século, de uma nova era, saber absorver a experiência dos nossos antecessores, conseguir diferenciar o certo e o errado e só assim poder fazer um novo modelo de desenvolvimento. Vivemos em uma nova era, porém não podemos esquecer da nossa história.

ContilNet – O senhor acha que o governo Gladson Cameli vai conseguir resgatar suas promessas de campanha em relação ao agronegócio e meio ambiente?

Israel Milani – Acho que, em relação ao Meio Ambiente, o governo Gladson Cameli superou e muito as expectativas. Os resultados são fruto de uma integração entre as equipes. Realizamos um trabalho que tem sido reconhecido pelos demais estados da Amazônia Legal, com responsabilidade ambiental e jurídica, sempre como foco em melhorar a vida das pessoas. Nessa gestão, o Meio Ambiente está alinhado com o setor produtivo, dando todo o apoio necessário e acredito que avançamos nesse quesito.

ContilNet – O senhor será mesmo candidato a deputado federal?

Israel Milani – Tenho plena consciência, como um filho do Acre e um entusiasta do desenvolvimento do nosso Estado e de nossa gente que posso contribuir muito mais. Minha pré-candidatura surge de um coletivo de amigos e lideranças que acreditam em um Acre próspero, justo e desenvolvido. Sempre me dediquei ao máximo em tudo que me propus, assim foi como médico, secretário de Estado e como político. Porém, não sou pré-candidato de mim mesmo. Sigo ouvindo as pessoas, e muito me honra toda a confiança recebida.

ContilNet – A candidatura da senhora sua mãe, deputada federal Vanda Milani, para o Senado, está mantida? Ela não vai recuar?

Israel Milani – A deputada Vanda Milani, além de ter sido muito bem votada, surpreendeu a todos com um mandato proativo. Foi reconhecida por dois anos consecutivos como a melhor parlamentar do nosso Estado. Tem uma conduta ilibada e presta um serviço de excelência ao nosso Acre. A sua pré-candidatura não é impositiva e sim um clamor das pessoas por onde ela anda. A deputada Vanda nutre a simpatia das principais lideranças em nível de Estado. Essa equação é simples, pois credibilidade, fidelidade e trabalho prestado, aliado a votos, a define.

ContilNet – Por fala rem equação, como tem sido administrar relações politicas e pessoais, envolvendo o coração, o senhor e a prefeita de Brasileia Fernanda Hassem, se ela é do PT, e o senhor é de posições ideológicas opostas?

Israel Milani – A má política deixa espaço para dúvidas como estas. Porém, devo afirmar que não é o nosso caso. Fernanda e eu divergimos em algumas ideias políticas, e ao contrário do que alguns pensam, nos respeitamos e há um aprendizado mútuo constante. Nossa relação é de respeito e de duas pessoas que optaram por viver o sentimento lindo que nutrimos um pelo outro. E isso nos basta.

Isarel Milani e Fernanda Hassem/ Foto: Arquivo pessoal

ContilNet – Vocês vão se casar? Um casamento político ou de fato?

Israel Milani – Casamento político? Isso soa machismo e é completamente absurdo. Só alguém desprovido de caráter faria isso. Fernanda e eu procuramos a discrição e preservar a nossa vida pessoal cuidando um do outro. Compreendemos que por sermos pessoas públicas, isso atrai a curiosidade de muita gente. Fernanda é, pelo quarto ano consecutivo, a melhor no que faz. Então é natural essa especulação toda. Mas, te respondendo: sim, vamos casar e já temos até data marcada (rindo).

ContilNet – Como vocês se conheceram?

Israel Milani – Foi há quase um ano. Quem nos conhece mais a fundo dizia que éramos o improvável, porém, aconteceu e hoje procuramos ser os melhores em nossos trabalhos. Mas, também cuidar um do outro e de nossa família. Deus sempre nos dando a oportunidade de sermos felizes.

ContilNet – Ela somará na sua campanha? Ela vai apoiar a sogra Vanda fora do PT?

Israel Milani – Se ela somará? O que acha? Quem não gostaria de tê-la ao lado? Fernanda faz parte da nova safra política do nosso Estado. Por onde anda é reconhecida pelo trabalho e pela dedicação ao seu povo. Sou um entusiasta do trabalho dela e ela não só somará como ajudará a coordenar o processo.

ContilNet – O senhor não teme que ela seja expulsa do PT?

Israel Milani – Ao meu ver, seria uma injustiça à história dela e a tudo que ela fez e faz. Eu a respeito e já a conheci no PT, o único partido que ela foi filiada, mas, hoje a vejo acima da sigla. As pessoas gostam dela e não do partido. Mas, essa é minha opinião, e estarei ao lado dela seja qual for a sua a decisão.

fonte: contilnet