sex. maio 20th, 2022

Sandro Ricardo Rocha dos Santos era diretor na Secretaria de Assistência Social dos Direitos humanos e de Política para as Mulheres do Acre (SEASDHM) quando foi denunciado em setembro de 2020 ao MP-AC. Defesa nega crimes.


Ministério Público do Acre investiga ex-diretor por assédio moral e perseguição a funcionários  — Foto: Divulgação/MP-AC

Ministério Público do Acre investiga ex-diretor por assédio moral e perseguição a funcionários — Foto: Divulgação/MP-AC

O ex-diretor na Secretaria de Assistência Social dos Direitos humanos e de Política para as Mulheres do Acre (SEASDHM) Sandro Ricardo Rocha dos Santos é investigado por assédio moral pelo Ministério Público do Estado (MP-AC). O ex-servidor é investigado desde setembro de 2020 quando o órgão recebeu uma denúncia de funcionários da pasta.

Na época, o MP-AC começou a investigar o caso por meio de uma denúncia fato. Já em junho desse ano, o órgão instaurou um procedimento preparatório para seguir com a apuração.

Além do assédio moral, a denúncia relatava que Santos perseguia os funcionários públicos.

“O diretor utiliza as seguintes citações: funcionário público é acomodado e folgado, nessa diretoria ninguém trabalha; já tem projeto de lei que vai acabar com esses privilégios e mordomia dos efetivos; funcionário público só quer saber do salário na conta do final do mês; quero funcionários que trabalhem de verdade; etc.”, diz parte da denúncia.

Ainda segundo o documento, o ex-diretor ameaçava quem discordava dele e se apresentava como ‘irmão do governador de Rondônia e amigo pessoal do governador, sempre tentando intimidar os funcionários com seu poder e influência.’

Ao G1, Sandro Ricardo dos Santos falou que foi exonerado do cargo em junho desde ano. Segundo ele, o processo chegou a ser arquivado em dezembro de 2020 porque não foi achada a pessoa que fez a denúncia. Ele falou que soube da instauração do procedimento pela reportagem, mas afirmou está à ‘disposição para qualquer esclarecimento’.

O governo do Acre falou que ainda não foi notificado do procedimento, mas tem conhecimento da investigação.

Perseguição

O advogado do ex-diretor, Romano Gouveia, afirmou que não há nenhuma comprovação que prove o assédio cometido por Santos. Para ele, o cliente é vítima de uma perseguição política e questionou ainda o motivo da investigação ter sido desarquivada.

“Não temos uma gravação, um áudio, uma filmagem e nada disso em desfavor do Sandro. A grande questão é de que o Sandro é o irmão do governador de Rondônia e o governo não está mais alinhado com o governador. Por que o processo não deu continuidade desde cedo se era tão grave? Processo não é brincadeira”, argumentou.

fonte: g1acre