• sáb. fev 24th, 2024

“Mentiroso e dissimulado”, diz promotor a acusado de matar esposa durante júri no Acre

ByEdnardo

mar 15, 2023
O promotor Thalles perguntou como um rapaz, que serviu o Exército não conseguiu conter uma mulher com 1,58m e 54kg

Nesta quarta-feira (15), ainda durante a fala da promotoria Ministério Público do Acre (MPAC), no Júri Popular de Hitalo Gouveia Marinho, acusado de matar a esposa Adriana Paulichen, em julho de 2021, o promotor de Justiça Thalles Ferreira chamou o réu de “mentiroso e dissimulado” ao falar do caso.

Hitalo matou Adriana em 2021/Foto: Reprodução
– Publicidade-

O promotor Thalles Ferreira disse, em sua fala, que Hitalo continua matando Adriana. “Antes de descobrir as traições, ele e todas as pessoas que estiveram aqui, disseram que Adriana era um amor de pessoa”.

O promotor Thalles perguntou como um rapaz, que serviu o Exército não conseguiu conter uma mulher com 1,58m e 54kg. “Não conseguiu conter uma mulher de 54 quilos, precisou dar duas facadas e estrangular ela. Ele é tão mentiroso e dissimulado porque perguntei se tinha mexido no corpo dela e disse que não. Ele conhece tudo desse processo”, destacou. O promotor também chamou Hitalo de “narcisista e perverso”.

Segundo relatos de especialistas, as mulheres passam 34 situações de violência antes de romper com o abusador, seja moral, física, psicológica ou financeira. “Naquele dia, ela estava decidida a ir embora e ele conhece a necessidade que a vítima tinha em não ser abandonada. Ele é manipulador”, disse.

O promotor também mostrou imagens e disse que Hitalo mexeu no corpo e colocou panos nas feridas. “Colocou pano e gazes na ferida. Mexeu no corpo e fez tudo isso porque uma personalidade narcisista não aceita um não”, apontou.

“Essa criança pode nem ter identidade. A identidade dele vai ser ‘meu pai matou minha mãe e minha mãe foi morta pelo meu pai’. O Hitalo não acabou com a vida só da Adriana não. Ele acabou com a Andréia, a dona Mara, a dona Maria, a Juliana, a Aparecida e com o futuro de uma criança”, disse o promotor.

“Se fosse a Adriana a infiel, era a mulher que não se dava o respeito e não respeitava o marido, mas como não teve isso, ela é a louca. Esse sujeito traiu a esposa dele com a melhor amiga dela, que saiam juntos. Isso é uma violência moral absurda, senhores”, finalizou.

fonte: contilnet

By Ednardo