qua. maio 25th, 2022
Ziza Alves foi sepultado nesta quinta-feira (16), mas sua contribuição será eterna. Foto: Arquivo pessoal

 

Sepultado na tarde chuvosa desta quinta-feira (16), o barbeiro Ziza Alves da Costa, falecido aos 83 anos, de causas naturais, era um homem de muitos amigos e muitas histórias para contar. Natural de Sena Madureira e pai de sete filhos, Ziza Alves ficou viúvo em 2021 depois de 59 anos de casado com dona Terezinha de Jesus, que morreu vítima da Covid-19.

Ziza Alves aprendeu o ofício de barbeiro aos 16 anos, ainda em Sena Madureira, atividade que exerceu por mais de 60 anos. Seu salão, instalado na Avenida Getúlio Vargas, anexo ao edifício-sede da Prefeitura de Rio Branco, nas imediações da Praça da Revolução, no centro da Capital acreana, era frequentado por gente de todas as classes sociais do Acre, principalmente dos membros da classe política. Ele cortou o cabelo de praticamente todos os governadores do Acre, desde a época do território. Guiomar Santos, Jorge Kalume e outros políticos tradicionais, como Wildy Viana e Raimundo Melo, além de clientes, eram seus amigos, cuja relação passou para seus filhos.

Ziza já foi vereador por Sena Madureira. Foto: Arquivo pessoal

Antes de vir morar em Rio Branco, Ziza Alves foi vereador em Sena Madureira, na legislatura de 1967 a 1971. Exerceu o mandato ao lado de pessoas que fizeram história no Acre, como o delegado de Polícia Enock Pessoa de Araújo assassinado nos anos 90, e o ex-deputado estadual Raimundo Sales.

Ziza foi perseguido por poderosos. Foto: Arquivo pessoal

Foi a política a razão da transferência de Ziza e sua família para Rio Branco. “Ele foi perseguido pelos poderosos do lugar na época e teve que deixar tudo o que havia construído para trás. Aqui em Rio Branco, criou a nós todos e reconstruiu tudo novamente. Isso tudo sem jamais ter sido empregado trabalhando apenas como autônomo”, disse Amarildo Costa, filho mais velho.

FONTE: CONTILNET